O PEI no Contexto Escolar e Laboral

logo pei
Dando continuidade ao tema do post anterior, vamos discorrer um pouco sobre o PEI – Programa de Enriquecimento Instrumental – criado pelo psicólogo romeno Reuven Feuerstein, nos contextos escolar e laboral

Contexto Escolar

escolaDiscípulo de Jean Piaget, Feuerstein esbanja otimismo quando o assunto em questão é inteligência e aprendizagem. Segundo  sua teoria,  qualquer pessoa é capaz de elevar seu potencial de inteligência, seja qual for a sua idade ou problema. Em outras palavras, o método de Feuerstein ensina a ser inteligente. “ Seu programa psicopedagógico, pode  ser aplicado em  crianças, jovens , adultos e idosos  . Ele afirmava que“Mais importante do que saber é aprender como usar este saber”.

Objetivos Específicos do PEI na Escola

Melhorar a eficácia na formação escolar  na medida  em que:
• Desenvolve o potencial de aprendizagem autônoma ao longo da vida
• Aumenta a flexibilidade a adaptabilidade às novas circunstâncias
• Otimiza a comunicação e o trabalho em equipe

Efeitos positivos do PEI

O desenvolvimento das funções mentais, que o PEI promove, traduz-se posteriormente em:
• Uma nova motivação para a resolução de problemas:
• Um maior discernimento na experiência do sucesso e do insucesso.
• A transformação de sujeitos passivos em sujeitos geradores de informação.
• Uma maior facilidade de adaptação a novas circunstâncias.
• Uma otimização na comunicação e espírito de equipe.

Contexto Laboral

trabalhoO PEI contribui para superar dificuldades na identificação, diferenciação e classificação de problemas e soluções, ajuda a definir objetivos e os respectivos indicadores para a tomada de decisão e facilita a criação de ambientes propícios à coesão dos grupos de trabalho.

Desenvolve as capacidades intelectuais e atitudes exigidas ao  trabalhador   no cumprimento da sua missão de recolher, analisar, organizar e classificar informação no ambiente de trabalho de maneira a utilizar o tempo de forma mais produtiva e evitar desperdícios. O Programa estimula a flexibilidade e a polivalência que facilitam a adaptação a novos e diferentes ambientes e situações.

Para ser um mediador do PEI é necessário que o sujeito passe por um curso de formação durante o qual o Programa é aplicado nele , a fim de que possa compreender e sentir seus efeitos, ao mesmo tempo em que aprende a aplicá-lo no contexto escolar ou laboral no público jovem, adulto e idoso.
Júlia Eugênia Gonçalves
Júlia Eugênia Gonçalves
Psicopedagoga há 37 anos, com formação em mestrado pela UFF./RJ. Carioca, moro em Varginha/MG desde 1996, quando fui contratada pela UEMG para participar de um projeto de formação de professores, depois de ter me aposentado da rede pública federal, onde atuava como docente no Colégio Pedro II. Pertenci ao Conselho Nacional da ABPp de 1997 a 2010. Presido a Fundação Aprender, em Varginha, instituição pública de Direito Privado, sem finalidades financeiras e de utilidade pública.Atualmente tenho me especializado em EaD e suas interfaces com a Psicopedagogia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>